sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

DICAS PARA MEDIÇÃO ATERRAMENTO RESIDÊNCIAS


Como fazer a medição de corrente do aterramento?

Por quê executar a medição do aterramento?

Para verificar a eficiência do mesmo, já que apenas seguir os passos indicados, não é sinal de aterramento eficiente, tendo em vista que a relação de qualidade do solo x quantidade de hastes x comprimento e bitola dos fios, nem sempre é uma fórmula padrão para se obter os melhores resultados.

Executando medição de corrente do aterramento metodo 1

Os métodos aqui dispostos medem a resistência do aterramento para saber se o mesmo está apto à proteção elétrica e ganho dos demais benefícios citados .
Passo 1
- A medição inicial do aterramento é feita entre o orifício da fase e o orifício do terra .
Esta medição terá que mostrar um valor aproximado do valor obtido entre fase e neutro, conforme mostrado na página anterior.
As ponteiras podem ser inseridas em qualquer ordem, independente da cor.
Passo 2
- A próxima medição do aterramento é feita entre o orifício do neutro e orifício do terra terá que dar um valor de preferência abaixo de 3.0v, caso esteja acima, é possível que o aterramento esteja ineficiente ou mal feito.
As ponteiras podem ser inseridas em qualquer ordem, independente da cor. No exemplo abaixo a medição deu 1.8v.
Nota:
1 – Caso o valor medido entre neutro e terra seja: “0 volt”, não será referência de que o aterramento está eficiente, muito pelo contrário, isto pode indicar a falta completa de aterramento.
2 – Anualmente ou semestralmente meça o aterramento, pois podem ocorrer afrouxamentos e oxidações das tomadas e pinos, e isto pode ocasionar a falta de aterramento sem que o usuário perceba.

Executando medição de corrente do aterramento método 2

Um outro método usando uma lâmpada de 60w é tido por alguns como mais preciso e confiável que o anterior.
Esse método é utilizado em substituição à medição com o terrômetro, que é um aparelho específico para medir a resistência de um aterramento.

Com custo elevado, o terrômetro, é um item que não faz parte da maleta de ferramentas da grande maioria dos eletricistas.
O teste consiste em medir a voltagem entre fase e terra de uma lâmpada incandescente de 60w conectada a um bocal e comparar com a medição entre fase e neutro da mesma tomada.
A averiguação se dá observando o valor das diferenças obtidas.
O ideal, é que a diferença seja de até 10 volts para rede de 110v e de até 20v para rede de 220v.

Material necessário:
A – Multímetro;
B – Um soquete/bocal com dois pinos para lâmpada (conforme foto 1 logo abaixo) ou soquete/bocal tradicional para conexão de fio (conforme foto 2 logo abaixo).
C – Uma Lâmpada incandescente de 60w;
D – Dois pedaços de fio de uns 20cm com as 4 pontas descascadas. (melhor não usar fio muito fino).

Passos:

1 – Conforme descrito nas páginas anteriores, ajuste o voltímetro para ler corrente alternada (ACV).
2 – Marque 200 se a rede a ser medida for 110v e se a rede for 220v, marque 750, conforme fora aprendido antes.
3 – Meça a voltagem existente entre fase e neutro e anote o valor obtido, conforme a foto a seguir.
4 – Com os passos anteriores devidamente efetuados, conecte a lâmpada no bocal, parafuse os fios nos conectores do bocal/soquete, ou enrosque nos pinos (se este foi o modelo de bocal/soquete adquirido).
5 – Após este passo, conecte o fio da lâmpada com o bocal nos orifícios do fase e do terra (Não existe polaridade quando se liga lâmpada diretamente na tomada).
6 – Se a lâmpada acendeu corretamente, meça a corrente conforme a foto .




Resultado:
Observe que a medição entre fase e terra com a lâmpada conectada deu 112.9 volts, e a mediação entre fase e neutro deu 117.3 volts, portanto, ocorreu uma diferença de 4.4v, que está dentro do padrão recomendado como uma boa condição de aterramento.
Relembrando que a constatação para esta boa condição é que a diferença seja de até 10 volts para rede de 110v e de até 20v para rede de 220v.

Nenhum comentário:

Postar um comentário